Blog post

Member Profile: Vasco Grilo

7 min read
Jun 13, 2022
This profile is part of the "People of Giving What We Can" series.

We recently spoke with Vasco Grilo from Portugal. He shared with us his effective giving story, including what motivates him to give and what issues he cares about the most. This story is available in Portuguese below.

Falámos recentemente com o Vasco Grilo de Portugal. Ele partilhou connosco a sua história de doações eficazes, incluindo o que o motiva a doar e quais as questões que mais o preocupam. Esta história está disponível abaixo em português.

Tell us about yourself, what keeps you busy, what makes you tick.

I enjoy contributing to a better world, via my own work, or helping others to do that!

Tell us about your effective giving journey.

I noticed that I had great grades, and was following a somewhat predictable life trajectory of a good citizen, but was not convinced of my actual impact on shaping a better world. By coming across effective altruism, a philosophy and social movement focussed on maximising the good we can do with our careers, money and life decisions, I understood that I actually had a great opportunity to make a difference. One example is via effective donations. I can save a life with a few thousand dollars!

Why do you give? (What motivated you to give originally. What keeps you motivated now.)

I give because I want to see a world full of happiness and prosperity, where every sentient being can enjoy a life without unnecessary pain, and full of good experiences and achievements!

Why did you take the Giving What We Can pledge?

I want to maximise total expected well-being, i.e. contributing to increasing the number of people and animals that are happy, and making those who are happy even happier!

What are the issues in the world that you care most deeply about?

Positively shaping the development of artificial intelligence, and mitigating global catastrophic biorisks (e.g. something 100 times as bad as COVID-19).

Which organisations do you give to (and why)?

I give to EA Funds as they are aligned with maximising the impact of donations by having in mind: expected value, counterfactual impact, track record, marginal impact and room for more funding, direct and indirect effects, and information value.

Do you ever find it difficult to give?

No, but I find it difficult to choose the organisation to which to give, as there are many great opportunities.

Do you try to effect change in any other way?

I work as a volunteer analyst at SoGive, have published articles in the online newspaper of my university, and plan to pursue a career aligned with maximising social impact. I also follow a plant-based diet to avoid causing harm to animals.

What effective giving tips would you like to share?

Remember that what matters is your total impact, not just the impact of your donations. As a result, it is important to have "personal runway" (how many months you can easily live if you stopped working) of 6 to 24 months (see this).

Having said that, donating 10% of the net income is not necessarily optimal. If one donates 50 %, the impact of one's will be 5 times as large! This means it is worth considering whether you could donate more without sacrificing any impact on your career.

What suggestions do you have for other people considering the pledge?

If you earn $20,000 a year, you are roughly in the top 5% richest people in the world. By donating 10% to GiveWell top charities (or other effective organisations), you can save a life for every $4,000, i.e, you can save a life every 2 years. This is a great opportunity to contribute to a better world!

What are your visions for the future?

A world without pain and poverty, and full of happiness!

Have any books or documentaries or articles or studies significantly changed the way you see giving?

The 80,000 Hours article Part 3: Three ways anyone can make a difference, no matter their job helped me see giving in a different light. "One life saved per year would amount to 40 lives saved over a 40-year career. In a previous article, we estimated that a typical doctor in clinical medicine saves five lives over their career. So by donating 10% of your income, you could achieve eight times as much impact".

Have you found anything to be helpful in talking to people about effective giving?

Frame effective giving as an opportunity rather than an obligation.

Are there any other concrete ways that Giving What We Can has helped you?

GWWC community events have increased my motivation to contribute to a better world!

Versão em português

Conta-nos sobre ti mesmo, o que te mantém ocupado, o que te faz vibrar.

Gosto de contribuir para um mundo melhor, através do meu próprio trabalho, ou ajudando outros a fazê-lo!

Fala-nos da tua jornada de doações eficazes.

Reparei que tinha boas notas, e estava a seguir uma trajetória de vida algo previsível de um bom cidadão, mas não estava convencido do meu impacto real na formação de um mundo melhor. Ao encontrar altruísmo eficaz, uma filosofia e movimento social focado em maximizar o bem que podemos fazer com as nossas carreiras, dinheiro e decisões de vida, entendi que realmente tinha uma grande oportunidade de fazer a diferença. Um exemplo é através de doações eficazes. Posso salvar uma vida com alguns milhares de euros!

Porque é que doas? (O que te motivou a doar originalmente. O que te mantém motivado agora.)

Doo porque quero ver um mundo cheio de felicidade e prosperidade, onde cada ser consciente pode desfrutar de uma vida sem dor desnecessária, e cheia de boas experiências e realizações!

Porque é que assumiste o compromisso de “Giving What We Can”?

Quero maximizar o bem-estar total esperado, ou seja, contribuir para aumentar o número de pessoas e animais que são felizes, e fazer mais felizes os que são felizes!

Quais são os problemas no mundo com que mais te preocupas?

Moldar positivamente o desenvolvimento da inteligência artificial, e mitigar bioriscos catastróficos globais (por exemplo, algo 100 vezes pior que a COVID-19).

A que organizações doas (e porquê)?

Doo aos EA Funds, uma vez que estão alinhados com maximizar o impacto das minhas doações tendo em conta: valor esperado, impacto contrafactual, histórico, impacto marginal e espaço para mais financiamento, efeitos diretos e indiretos, e valor da informação.

Já tiveste dificuldade em doar?

Não, mas acho difícil escolher a organização à qual doar, uma vez que existem muitas grandes oportunidades.

Tentas efetivar mudança de alguma outra forma?

Trabalho como analista voluntário na SoGive, publiquei artigos no jornal online da minha universidade, e planeio seguir uma carreira alinhada com maximizar impacto social. Também sigo uma alimentação à base de plantas para evitar causar danos a animais.

Que dicas eficazes gostaria de partilhar?

Lembra-te que o que importa é o teu impacto total, não apenas o impacto das tuas doações. Como resultado, é importante ter "folga financeira" (quantos meses podes viver facilmente se deixasses de trabalhar) de 6 a 24 meses (ver isto).

Dito isto, doar 10% do rendimento líquido não é necessariamente o ideal. Se se doar 50 %, o impacto será 5 vezes maior! Isto significa que vale a pena considerar se podes doar mais sem sacrificar qualquer impacto na tua carreira.

Que sugestões tens para outras pessoas a considerar assumir o compromisso?

Se ganhares 20.000 € por ano, estás no top 5% das pessoas mais ricas do mundo. Ao doar 10% às organizações de caridade de topo da GiveWell (ou outras organizações eficazes), podes salvar uma vida por cada 4.000 €, ou seja, podes salvar uma vida a cada 2 anos. Esta é uma grande oportunidade para contribuir para um mundo melhor!

Quais são as tuas visões para o futuro?

Um mundo sem dor e pobreza, e cheio de felicidade!

Algum livro ou documentários ou artigos ou estudos mudou significativamente a forma como vê dar?

O artigo da 80,000 Hours Part 3: Three ways anyone can make a difference, no matter their job ajudou-me a ver doar a uma luz diferente. "Uma vida salva por ano equivaleria a 40 vidas salvas ao longo de 40 anos de carreira. Num artigo anterior, estimamos que um médico típico em medicina clínica salva cinco vidas ao longo da sua carreira. Assim, ao doar 10% do teu rendimento, podes conseguir oito vezes mais impacto".

Encontraste algo que ajudasse a falar com as pessoas sobre doações eficazes?

Enquadrar doações eficazes como uma oportunidade em vez de uma obrigação.

Há alguma outra forma concreta que a Giving What We Can te tenha ajudado?

Os eventos comunitários da GWWC aumentaram a minha motivação para contribuir para um mundo melhor!